Script técnico que não afeta o conteúdo.
compartilhe link
compartilhar

Comunidades protagonistas do turismo

Publicação relata as ações do Ministério do Turismo (MTur) de apoio ao Turismo de Base Comunitária

22/12/2010

Brasília (22/12) – Os desafios para formulação de políticas públicas voltadas para o fortalecimento e inserção das comunidades locais na organização e oferta de produtos e serviços nos destinos turísticos é tema da publicação do Ministério do Turismo (MTur): A Dinâmica e diversidade do Turismo de Base Comunitária: desafio para a formulação de política pública. O livro foi lançado no início do mês, em Brasília (DF).

Segundo a coordenadora-geral de Projetos de Estruturação do Turismo em Áreas Priorizadas, Kátia Silva, a proposta foi registrar e sistematizar as ações de apoio ao Turismo de Base Comunitária (TBC) realizadas pelo MTur, desde 2008.

“Ao compreender o desenvolvimento local do turismo como oportunidade de inserção da população em atividades econômicas relacionadas ao setor, o MTur vê no TBC uma alternativa econômica para diversificação da oferta turística, tendo como base o desenvolvimento local e a geração de trabalho e renda”, ressalta Silva. O livro apresenta, ainda, descrição de experiências apoiadas pelo ministério.

MTur e o apoio ao TBC – Em 2008, o MTur abriu chamada pública para apoio a projetos de TBC. Na ocasião, foram recebidos 500 projetos, desses foram selecionados 50 para apoio financeiro do MTur. Dos 50 projetos selecionados, 42 foram formalizados, o que resultou em investimentos de R$ 7 milhões.

O TBC é um modelo alternativo de desenvolvimento do turismo, baseado na autogestão, cooperativismo, valorização da cultura local, protagonismo das comunidades para maior participação nos benefícios gerados pelo desenvolvimento da atividade turística.

O produto de TBC se diferencia por incorporar o modo de viver e representar o dia-a-dia da comunidade anfitriã. “A ideia é a convivência e intercâmbio entre o turista e a comunidade e que os benefícios das oportunidades econômicas geradas pelo turismo possam ser apropriados pela população”, explica Silva.
Para acessar a publicação, clique aqui