PERGUNTAS E RESPOSTAS

RESPOSTA: O Ministério do Turismo entende que o selo representa um movimento importante para a retomada da atividade turística no Brasil, uma vez que há o entendimento por parte dos destinos turístico e do próprio setor de viagens que haverá uma demanda do turista por empreendimentos e atrativos que adotem medidas de proteção e segurança do ponto de vista sanitário. A medida contribui para promover o Brasil como destino seguro e incentiva a retomada da atividade turística e a atração de turistas nacionais e internacionais.

RESPOSTA: Não. O selo é opcional, mas o Ministério do Turismo acreditas que ele poderá ser um importante diferencial para atender o novo perfil de turista que surgirá com essa pandemia, mais atento à questão sanitária e mais exigente em relação a higiene e outros cuidados.

RESPOSTA: Não, o selo é gratuito.

RESPOSTA: Para solicitar o selo, o interessado deve observar se atende as orientações previstas no protocolo destinado ao segmento em que atua e deve estar com situação regular perante o CADASTUR. Em caso positivo, ele adere a autodeclaração que atende os pré-requisitos determinadas e é encaminhado para uma área do site do selo onde pode realizar o download do selo para impressão. O selo deverá ser colado em local de fácil acesso ao cliente e conterá um QR Code onde o turista poderá consultar as medidas adotadas por aquele empreendimento e/ou profissional e possibilitará, inclusive, a realização de denúncias em caso de descumprimento.

Em caso de empresas, o selo já encontra-se disponível. No caso dos guias de turismo, ele deverá estar disponível em cerca de 20 dias.

RESPOSTA: Todos os protocolos foram construídos em conjunto com os próprios segmentos, que poderão solicitar o selo, levando em conta protocolos adotados por entidades internacionais e receberão a validação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Ministério da Saúde.

RESPOSTA: Para solicitar o selo, o interessado deve observar se atende as orientações previstas no protocolo destinado ao segmento em que atua e deve estar com situação regular perante o CADASTUR. Em caso positivo, ele adere a autodeclaração que atende os pré-requisitos determinadas e é encaminhado para uma área do site do selo onde pode realizar o download do selo para impressão. O selo deverá ser colado em local de fácil acesso ao cliente e conterá um QR Code onde o turista poderá consultar as medidas adotadas por aquele empreendimento e/ou profissional e possibilitará, inclusive, a realização de denúncias em caso de descumprimento.

RESPOSTA: O Ministério do Turismo entende que empresas e profissionais do turismo são os maiores interessados em garantir um ambiente seguro tanto para seus colaboradores como também para seus clientes que atuarão como fiscais do cumprimento das medidas. Em caso de descumprimento, o turista poderá realizar uma denúncia junto ao Ministério do Turismo que, em última instância, poderá revogar o selo.

RESPOSTA: Não, o ministério entende que esta será uma inciativa que contará com uma forte adesão por parte dos turistas que passarão a exigir mudanças de comportamento do setor. Ofereceremos todas as ferramentas para informar o turista sobre os compromissos assumidos por aquele estabelecimento. Em caso de descumprimento, o turista poderá realizar uma denúncia junto ao Ministério do Turismo que, em última instância, poderá revogar o selo.

RESPOSTA: Não. O ministério acredita que o selo é um instrumento importante de retomada da atividade, tanto que o próprio setor foi parceiro da Pasta na definição dos protocolos.

RESPOSTA: Certamente o selo servirá para ajudar a posicionar o Brasil como destino seguro, além de incentivar a retomada da atividade turística e a atração de turistas nacionais e internacionais. Trata-se de um movimento importante para marcar essa retomada da atividade turística no nosso país.

RESPOSTA: A melhor possível. Todos estão ansiosos para se adequarem aos protocolos e retomarem suas atividades tão logo seja possível.

RESPOSTA: Haverá um espaço dentro do site do selo onde o turista poderá realizar a denúncia junto ao Ministério do Turismo que, em última instância, poderá revogar o selo.

RESPOSTA: Sim, um dos objetivos do selo, inclusive, é preparar as empresas do setor para a retomada da atividade frente às novas demandas impostas pela pandemia do coronavírus.

RESPOSTA: Sim, você deve estar atento aos protocolos específicos de cada segmentos e solicitar os selos após a adoção das medidas recomendadas.

RESPOSTA: Sim, é um pré-requisito importante. Todos os interessados em adquirir o selo precisam estar cadastrados junto ao Cadastur. Vale ressaltar que o procedimento é totalmente eletrônico e gratuito. Basta acessar o site: cadastur.turismo.gov.br

RESPOSTA: O selo está disponível para 15 categorias do segmento turístico. São elas: meios de hospedagem; agências de turismo; transportadoras turísticas; organizadoras de eventos; parques temáticos; acampamentos turísticos; restaurantes, cafeterias, bares e similares; centros ou locais destinados a convenções e/ou feiras e a exposições e similares; parques temáticos aquáticos e empreendimentos dotados de equipamentos de entretenimento e lazer; marinas e empreendimentos de apoio ao turismo náutico ou à pesca desportiva; casas de espetáculos e equipamentos de animação turística; organizadores, promotores, prestadores de serviço de infraestrutura, locação de equipamentos, montadoras de feiras de negócios, exposições e eventos; locação de veículos para turistas; prestadores de serviços especializados na realização e promoção das diversas modalidades dos segmentos turísticos, inclusive atrações turísticas e empresas de planejamento; e guias de turismo.

RESPOSTA: O Ministério do Turismo criará um site que reunirá todas as informações referentes ao selo, bem como a íntegra do manual com os protocolos dos 15 segmentos que poderão solicitar o selo. Desta forma os turistas poderão acessar todos os requisitos necessários para cada uma das atividades turísticas.

RESPOSTA: De maneira alguma. A ideia do Ministério do Turismo é assegurar que o setor de turismo tenha as ferramentas necessárias para se adaptar a um novo cenário do turismo após a pandemia de coronavírus onde, segundo inúmeros estudos de tendências, os turistas passarão a ficar mais atentos a exigências e critérios de higienização. Não há nenhuma perspectiva de acréscimo no valor da diária.

RESPOSTA: Ele poderá ser atualizado a qualquer momento, caso surjam novas orientações. Vale ressaltar que em breve teremos atualização deste protocolo com a inclusão do segmento de cruzeiros.