Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
Institucional

Entidades pedem apoio para promoção do Turismo LGBT

Em audiência no Ministério do Turismo, entidades LGBT falam sobre nicho de mercado que representa 10% dos viajantes no mundo e movimenta 15% do faturamento do setor

  • Publicado: Quarta, 11 de Janeiro de 2017, 17h53
  • Última atualização em Quarta, 11 de Janeiro de 2017, 17h53

 

Por Geraldo Gurgel

Ministro do Turismo, Marx Beltrão, recebe Nildo Correia, presidente do Grupo Gay Alagoas. Foto: Roberto Castro/MTur

O Brasil já é considerado um destino turístico para o público LGBT, inclusive para o mercado doméstico. Esses turistas são atraídos pelas belezas naturais, diversidade cultural e agitação noturna. Capitais como Rio de Janeiro, Salvador e Florianópolis estão estre as cidades consideradas “gay friendly”, com atrativos e programação de interesse do público formado por gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros. Mas, na opinião de representantes de várias organizações LGBTs que estiveram com o ministro do Turismo, a divulgação dos destinos e atrativos, inclusive os mais tradicionais, nem sempre leva em consideração a diversidade sexual, nem o potencial econômico do turismo LGBT.

Em audiência com o ministro Marx Beltrão, as organizações que defendem os direitos e promovem a cidadania do público LGBT, inclusive na economia do turismo, apresentaram sugestões, reivindicações e propostas para incrementar o segmento e proporcionar mais respeito à diversidade sexual. Uma delas é a inclusão do turismo LGBT com destinos e eventos voltados para esse público nos portais e mídias digitais do Ministério do Turismo e da Embratur.

Nildo Correia, do Grupo Gay de Alagoas, lembrou que as campanhas publicitárias que promovem os destinos dentro e fora do Brasil, muitas vezes deixam de fora os casais e famílias formados por pessoas do mesmo sexo, sendo que esse público, assim como os demais segmentos da economia do turismo, consomem os mesmos serviços e produtos oferecidos aos viajantes. Ele pediu a formação de um comitê para o desenvolvimento do turismo LGBT com a participação do segmento. Grandes eventos, como paradas LGBTs, também poderiam receber apoio e incentivo oficial, uma vez que têm potencial de atrair turistas e incrementar a economia com outros serviços e eventos paralelos.

Marx Beltrão destacou o incentivo do Ministério do Turismo para fortalecer o mercado com inclusão, cidadania e serviços de qualidade para vários nichos de mercado com grande potencial, entre eles, idosos, pessoas com deficiência e LGBT. A publicação de uma cartilha impressa e em formato digital, em parceria com o Ministério da Justiça, voltada para os prestadores de serviços, promove a inclusão e prioriza o atendimento aos visitantes, sem distinção de sexo. Os trabalhadores dos hotéis, restaurantes e agências de viagem estão entre o público que recebe orientação para atender bem o turista LGBT.

Também estiveram com o ministro Marx Beltrão, representantes da Parada Gay de São Paulo, do turismo gay de Brasília e de Fernando de Noronha e do Ministério da Cultura.

registrado em:
Fim do conteúdo da página