Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
347 ANOS

Florianópolis: parabéns para a “Ilha da Magia”!

Capital catarinense, que completa 347 anos, reúne belezas que encantam visitantes do Brasil e do mundo

  • Publicado: Segunda, 23 de Março de 2020, 15h14
  • Última atualização em Segunda, 23 de Março de 2020, 16h01

Por André Martins

Florianópolis.jpeg

Esta segunda-feira (23.03) é dia de homenagear um dos principais destinos turísticos nacionais, palco de atrativos para variados gostos. Conhecida - não à toa - como “Ilha da Magia”, Florianópolis ostenta inúmeros recursos naturais, culturais, históricos e religiosos, que cativam viajantes brasileiros e estrangeiros e tornam a capital catarinense um dos locais mais procurados no Brasil.

Se a motivação for praia, há diversas alternativas. Jurerê e Ingleses concentram a badalação, enquanto Joaquina, Campeche, Mole, Barra da Lagoa, Moçambique e Santinho fazem a festa de surfistas. Já quem prefere lugares menos cheios pode optar por Naufragados, Solidão e Lagoinha, e visitantes à procura de mar calmo têm em Canasvieiras uma escolha ideal.

As lagoas também são um espetáculo à parte. A da Conceição, famoso ponto turístico de Florianópolis, é ideal para a prática de esportes como windsurfe, kitesurfe e vela. Também possui boa infraestrutura de comércio, com a oferta de artesanato e uma animada vida noturna. Já a do Peri, no Sul da Ilha, proporciona passeios a bordo de embarcações não motorizadas.

O Centro Histórico, por sua vez, abriga a Catedral Metropolitana, construída em 1753, e a Praça XV de Novembro, ornada por sua Figueira centenária. A região reserva ainda o Mercado Público e a Casa da Alfândega, onde são vendidos produtos coloniais de todo o estado. Perto dali, a Ponte Hercílio Luz, cartão postal de Floripa, constitui outra atração.

A visita à capital proporciona ainda um passeio pelo melhor da gastronomia típica dos “manezinhos da ilha”, como são chamados os moradores nativos descendentes de açorianos que ajudaram a colonizar a região. O município é o maior produtor de ostras em cativeiro do país, mas nos pratos servidos também desfilam peixes, camarões, carne de siri, lulas e mariscos.

Por falar em culinária, Florianópolis estampa o título de primeira Cidade Criativa do Brasil na área de Gastronomia, concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em 2014. O grupo reúne localidades que reconhecem a inovação como estratégia impulsionadora do desenvolvimento sustentável, por meio de parcerias globais.

Segundo o Ministério do Turismo, a capital foi o segundo destino mais procurado a lazer por visitantes estrangeiros que estiveram no Brasil em 2018, atrás apenas do Rio de Janeiro. A cidade, juntamente com outros 19 municípios catarinenses, também integra o Investe Turismo, programa do MTur que promove a estruturação e a promoção de roteiros estratégicos do país.

23_03_jurere_.jpg

A famosa praia de Jurerê Internacional, em Florianópolis, recebe milhares de turistas todos os anos. Crédito: Arquivo MTur

HISTÓRIA - No início do século XVI, embarcações que percorriam a Bacia do Prata já aportavam na Ilha de Santa Catarina para carregar mantimentos. Entretanto, somente por volta de 1673 é que o bandeirante Francisco Dias Velho, juntamente com a família e agregados de São Paulo, deu início à povoação da área, com a fundação de Nossa Senhora do Desterro (atual Florianópolis).

A região, por sua posição estratégica aos domínios portugueses no país, passou a ser ocupada militarmente a partir de 1737. Com o advento da República (1889), resistências locais ao novo governo geraram distanciamento, mas forças chefiadas pelo Marechal Floriano Peixoto prevaleceram e ordenaram, em 1894, a mudança do nome da cidade para Florianópolis, em homenagem ao oficial.

registrado em:
Fim do conteúdo da página