Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
RELAÇÕES BILATERAIS

Brasil busca ampliar aproximação com os EUA pelo Turismo

Em reunião com a Embaixada dos Estados Unidos, ministro do Turismo apresentou estímulos para investimentos norte-americanos no Brasil

  • Publicado: Terça, 09 de Outubro de 2018, 17h00
  • Última atualização em Quinta, 11 de Outubro de 2018, 09h39

Por André Martins

09.10.2018 embaixadaEUA
Ministro Vinicius Lummertz se reuniu com representantes da Embaixada dos EUA em Brasília. Foto: André Martins/MTur

A ampliação da chegada de visitantes e investidores norte-americanos ao Brasil foi assunto de reunião nesta terça-feira (09), em Brasília, entre o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, e o conselheiro da Embaixada dos Estados Unidos, William Popp. A pauta envolveu assuntos como o aumento da conectividade aérea e a concessão de parques naturais à iniciativa privada, medidas que facilitam o fluxo de viajantes e tendem a aumentar o interesse por atrativos nacionais.

O ministro destacou que ações como a abertura de empresas aéreas ao capital estrangeiro, em tramitação no Congresso Nacional, vão aprimorar a estrutura turística do país e sugeriu a participação dos EUA na exploração de atividades em unidades de conservação ambiental. “Precisamos nos abrir para atrair investidores, com medidas como o acordo de céus abertos. Estamos empenhados em garantir segurança jurídica e criar melhores condições para trazer investimentos para o Brasil”, enfatizou.

Lummertz lembrou que o Legislativo analisa outras mudanças voltadas ao desenvolvimento do turismo, a exemplo da modernização da Embratur e da atualização da Lei Geral do Turismo. O ministro acrescentou que o MTur trabalha pela ampliação da facilitação de vistos a indianos e chineses, a fim de atrair mais turistas. O sistema de e-Visa já funciona para cidadãos dos Estados Unidos, Austrália, Canadá e Japão.

O conselheiro William Popp avaliou que a simplificação das autorizações de entrada no País é essencial para reforçar a atração de estrangeiros. “Os americanos são mais dispostos a ir para onde é mais fácil. E também para onde haja voos diretos”, observou. Lummertz informou que o MTur repassará aos EUA informações sobre a concessão de parques nacionais. “Contamos com a participação de atores mundiais e o know-how norte-americano é especialmente bem-vindo neste processo”, apontou o ministro.

A unidade de conservação ambiental do Pau Brasil (BA) acaba ter serviços de apoio ao turismo concedidos à iniciativa privada, e outras seis áreas naturais também devem ter editais lançados em breve pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

Também participaram da reunião o chefe da Assessoria Especial de Relações Internacionais do MTur, Rafael Luisi; a conselheira comercial da Embaixada dos EUA, Camile Richardson, e a chefe da Seção Consular da Embaixada, Antonia Cassarino-Gonçalves.

PERFIL - Os Estados Unidos são o segundo maior mercado emissor de visitantes para o Brasil, atrás apenas da vizinha Argentina. Conforme a Demanda Turística Internacional do Ministério do Turismo, dos 6.588.770 viajantes internacionais que vieram ao país em 2017, os norte-americanos responderam por um total de 475.232, enquanto os argentinos somaram 2.622.327. Estudos do MTur apontam que cidadãos dos EUA injetam cerca de US$ 710,5 milhões por ano na economia nacional.

Edição: Vanessa Sampaio

Fim do conteúdo da página