Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Últimas notícias > São Luís ganha primeiro museu do Reggae fora da Jamaica
Início do conteúdo da página
destino

São Luís ganha primeiro museu do Reggae fora da Jamaica

Novo atrativo cultural abrigará acervo material e imaterial que retrata a trajetória do ritmo musical em todo o estado e, em especial, na capital

  • Publicado: Quarta, 27 de Dezembro de 2017, 10h31
  • Última atualização em Quarta, 27 de Dezembro de 2017, 10h33

Por Geraldo Gurgel

26 12 17 NE SaoLuis0062
Crédito: Embratur

Conhecida como a Jamaica brasileira, São Luís ganhará nesta quinta-feira (28), o primeiro museu do Reggae fora do país caribenho. O espaço, de 397 metros quadrados, contará a trajetória do gênero musical no estado e já poderá ser incluído no roteiro de quem visitar a capital do Maranhão nesta temporada de férias de verão. Localizada na Praça do Reggae, tradicional espaço de radiola de reggae na capital, a construção abriga o acervo, material e imaterial, sobre o reggae maranhense.

Uma parte do material foi doada e a outra adquirida de colecionadores. São discos de vinil, gravações em vídeo, fotografias, roupas, acessórios e peças raras consideradas preciosidades da “massa regueira”. Entre as relíquias do museu está a guitarra usada há mais de 30 anos no primeiro show da Tribo de Jah, grupo pioneiro do reggae no Maranhão.

Outra peça importante é a radiola de reggae do serralheiro que virou DJ, Edmilson Tomé da Costa, já falecido. Ele ajudou a popularizar o gênero musical nos anos de 1970 com o sistema de som e uma discoteca de cinco mil discos adquiridos em viagens à Jamaica. Depoimentos gravados com personagens da cena reggae, livros, artigos, teses e dissertações compõem o acervo imaterial e digitalizado do museu.

A abertura do museu será uma amostra viva do que o visitante encontrará na exposição permanente. A cultura do reggae no estado, em cinco décadas, resultou no surgimento de bandas e radiolas de reggae, além de DJs e cantores em todo o estado. O ritmo da Jamaica também influenciou a moda com roupas e acessórios característicos, além do visual em dreadlocks e cortes africanos.

São Luís é considerada o maior polo de cultura reggae fora da Jamaica. Uma das particularidades do estilo no estado é que as pessoas dançam agarradas. Os bares, as barracas de praia, as bandas locais e os maranhenses em geral, principalmente da capital, assimilaram e diversificaram o gênero musical, inclusive na versão eletrônica.

PARCERIA - Os laços culturais que unem o Maranhão e a Jamaica pelo reggae resultaram em parcerias da Secretaria de Cultura e Turismo do Maranhão com museus jamaicanos.  Os acordos com museus e casas de cultura públicas e privadas de Kingston, como o Museu Bob Marley, o Museu Peter Tosh e o Museu da Música da Jamaica vão permitir empréstimos de material para exposições temporárias em São Luís. A primeira delas, ainda sem data definida, deverá reunir parte do acervo do Museu Bob Marley no novo espaço cultural.

registrado em:
Fim do conteúdo da página