Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Últimas notícias > ‘Rio de Janeiro a Janeiro’ é apresentado a empresários paulistas
Início do conteúdo da página
institucional

‘Rio de Janeiro a Janeiro’ é apresentado a empresários paulistas

Workshop com representantes do governo federal visa captar, junto à iniciativa privada, patrocinadores para alavancar eventos do programa

  • Publicado: Terça, 03 de Outubro de 2017, 12h49
  • Última atualização em Terça, 03 de Outubro de 2017, 13h15

Por Vanessa Sampaio 

03 10 17 SE Riodejaneiro0192
Crédito: Embratur

Na manhã desta terça-feira (3), em São Paulo (SP), o assessor técnico do Ministério do Turismo, Ítalo Mendes, defendeu que empresários paulistas se juntem ao programa Rio de Janeiro a Janeiro, que classificou como “uma grande oportunidade de negócios”. Ele participou de workshop de apresentação do calendário 2018 de eventos turísticos, esportivos e culturais da Cidade Maravilhosa, lançado pelo governo federal no último dia 24 de agosto.

Mendes convocou o apoio da iniciativa privada à força-tarefa do governo federal, que “vai abrir portas para a recuperação da economia e da imagem da cidade” atraindo maior fluxo de visitantes para os mais de 100 eventos do calendário do estado fluminense em 2018. Ele destacou que, por meio do turismo, a ação tem potencial para movimentar mais de 50 segmentos da economia, atrair cerca de R$ 6 bilhões em investimentos, gerar 170 mil empregos na Cidade Maravilhosa e induzir a retomada do desenvolvimento local.

03 10 17 Italo Mendes Rio Jan Jan VS MTur

Principal destino do turismo de lazer no país e porta de entrada de turistas internacionais, o Rio de Janeiro recebeu 6,8 milhões de turistas em 2016. Em 2017, no entanto, a taxa média de ocupação hoteleira é a mais baixa registrada na última década: 58%. O governo federal define o apoio como “uma causa de todo o Brasil para impulsionar um dos maiores expoentes turísticos do país”. Dentre os eventos beneficiados, destacam-se o Réveillon de Copacabana, a Meia-Maratona do Rio e o Desfile das Escolas de Samba do Rio de Janeiro.

SOBRE O CALENDÁRIO - A implementação do calendário foi validada por um estudo de impacto econômico realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), que avaliou a viabilidade econômica dos eventos, sejam eles tradicionais ou inéditos, considerando critérios de impacto turístico, na atração de investimentos, na geração de emprego e renda, na inclusão social e no potencial de continuidade e expansão.

O empresário carioca Duda Magalhães, um dos idealizadores do movimento pela criação do calendário, afirmou que "a vocação do estado para eventos nunca foi levada tão a sério como prioridade de política pública". Segundo ele, haverá rodada de sensibilização para que cada marca interessada identifique projetos que pode participar. "Além de ter um grande retorno desse investimento, todas as marcas que têm uma identidade vão ser reconhecidas pela sociedade como marcas cidadãs responsáveis e sensíveis a esse movimento", garantiu.

Segundo o ministro da Cultura, Sérgio de Sá Leitão, a retomada da economia do Rio só pode ser atingida se houver ampliação do poder de captação de investimentos e atração de turistas para o destino, que vem vivendo uma das piores crises econômicas e de segurança de sua história recente. "Precisamos dar uma ajuda para que o turismo e a economia criativa contaminem positivamente a economia. Esses eventos nunca foram tratados de forma coordenada e é a primeira vez q vejo uma política transversal de governo, não apenas no turismo, envolvendo várias áreas da economia pela geração de emprego e renda", declarou.

Na avaliação do secretário de Estado da Cultura do Rio, André Lazaroni, este é um momento de "redescoberta" do Rio como economia criativa na sua potencialidade plena. Ele disse que os empresários devem "olhar para o RJ como um lugar que pode potencializar marcas. O calendário vai representar a grande 'virada' do estado do Rio". Ele também destacou que o programa Rio de Janeiro a Janeiro contempla eventos de diversas localidades do estado, incluindo Baixada Fluminense, comunidades e interior. "Temos potencialidades diversas e queremos reerguer o estado do Rio, levantando a autoestima, a segurança e trazendo de volta o sorriso à população, ao visitante e ao empresário", disse.

registrado em:
Fim do conteúdo da página