Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Últimas notícias > Cavalhadas, história e cachoeiras em Corumbá de Goiás
Início do conteúdo da página
destino

Cavalhadas, história e cachoeiras em Corumbá de Goiás

Em meio à encenação da batalha entre cristãos e mouros, Corumbá de Goiás celebra a festa de Nossa Senhora da Penha na matriz de quase 300 anos

  • Publicado: Quarta, 06 de Setembro de 2017, 16h00
  • Última atualização em Quarta, 06 de Setembro de 2017, 16h00

Por Geraldo Gurgel


Crédito: Embratur

Antes de encher o lago da hidrelétrica Corumbá IV, em Goiás, o rio Corumbá realiza um belo espetáculo ao descer a serra dos Pirineus e despencar em cascatas. O Salto Corumbá (65m) faz jus à fama internacional pela beleza natural e selvagem. É nesse cenário que surgiu, no “coração” do Brasil, a cidade histórica de Corumbá de Goiás, em 8 de setembro de 1730. E com toda essa história, moradores e turistas celebram o fim da festa da padroeira Nossa Senhora da Penha com a encenação da tradicional Cavalhada que começa nesta quinta-feira (07).

O feriadão da Semana da Pátria também coincide com o fim do ciclo de 12 Cavalhadas realizadas em Goiás ao longo de três meses, sendo as últimas em Corumbá de Goiás (7 a 9) e Pilar (9 e 10). O circuito garante a realização de uma das mais antigas manifestações folclóricas e religiosas de Goiás. A encenação, quase sempre atrelada a uma festa religiosa, foi introduzida no Brasil pelos jesuítas para catequisar os nativos e escravos, além de reforçar a fé entre os cristãos e o prazer pela montaria.

O espetáculo cheio de pompa e beleza entrou para o calendário de eventos culturais de Goiás e atrai milhares de visitantes aos municípios que mantêm a tradição de mais de 200 anos. Os turistas juntam-se a população local e revivem as batalhas entre exércitos cristãos (católicos) e mouros (mulçumanos) pelo domínio da Península Ibérica (Portugal e Espanha), ocorridas 800 anos antes da colonização do Brasil. As cidades se dividem na torcida pelos 12 cavaleiros azuis (cristãos) e 12 vermelhos (mouros). Ambos comandados pelos seus respetivos reis. Uma experiência inesquecível para quem visita Goiás e que fortalece o turismo cultural.


Crédito: Embratur

ATRATIVOS - Nas ruas que ainda conservam os traços coloniais dos casarões construídos pelos bandeirantes em busca do metal precioso, destacam-se a matriz da Penha, de 1734, e o Cine Teatro Esmeralda. Os atrativos conduzem o turista pela cidade que serviu como polo de mineração do ciclo do ouro.

Para os amantes da natureza, a região oferece cenários únicos que são verdadeiros cartões postais. No parque ecológico, o visitante encontra cachoeiras, lagos, poços, corredeiras e grutas, entre outros atrativos naturais que permitem que o turista explore trilhas e pratique esportes radicais como rapel, tirolesa, boiacross e rafting ou, simplesmente, acampe e conte as estrelas ao som das águas.

CULINÁRIA – Não deixe de apreciar a cozinha goiana. Os restaurantes oferecem bons exemplos de comida caseira como frango caipira, galinhada com pequi e feijão tropeiro, entre outros pratos típicos e delícias do Cerrado. Para chegar à Corumbá de Goiás, o turista percorre cerca de 115 km de Brasília ou Goiânia, em pouco mais de uma hora de carro. Uma viagem ao passado, da época do Carro-de-boi, pertinho de grandes capitais onde chega-se de avião.

registrado em:
Fim do conteúdo da página