Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Últimas notícias > Turistas vigilantes contra o Aedes
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Turistas vigilantes contra o Aedes

Com a ajuda de aplicativos para dispositivos móveis e celulares, viajantes também podem contribuir para eliminar os focos do mosquito

  • Publicado: Terça, 16 de Fevereiro de 2016, 17h02
  • Última atualização em Sexta, 19 de Fevereiro de 2016, 20h57

Por Lívia Nascimento

O governo federal, juntamente com estados e municípios, declarou guerra ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, febre chikungunya e vírus Zika. No último sábado (13) realizou uma grande mobilização nacional que contou com a participação de cerca de 220 mil homens das forças armadas para informar a população sobre formas de combate ao aedes. E agora os turistas que visitam a Paraíba, o Rio Grande do Norte, o Distrito Federal, e outras unidades da federação também poderão contribuir para a eliminação dos criadouros do mosquito por meio do aplicativo Aedes na Mira.

“Trata-se de uma ação inovadora que permite que tanto os moradores destes estados, quanto os turistas que o visitam trabalhem de maneira colaborativa na eliminação deste mosquito e em busca de um bem comum. Esta é uma iniciativa que todos os estados poderão aderir”, avaliou o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves.

A ferramenta criada pelo Governo Estadual da Paraíba e lançada em 16 de dezembro reuniu, em apenas dois meses, mais de 570 denúncias de focos do mosquito em 34 municípios paraibanos. Do aplicativo, as demandas são enviadas, de forma imediata, para a Sala de Situação Estadual, localizada na sede da SES, na Capital, de onde são encaminhadas para as Secretarias de Saúde dos municípios para as providências, com um prazo de 5 a 7 dias úteis para a resolução. O aplicativo está disponível para celulares e todos os dispositivos móveis, que tenham as plataformas Android ou iOS.

“Este tem sido um instrumento muito importante no combate ao Aedes aegypti. O cidadão tira uma foto do local envia para a sala de situação do estado que já recebe a imagem com geolocalização mostrando o local exato do possível foco, o que tem nos auxiliado muito nessa luta”, gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES e coordenadora da Sala de Situação, Renata Nóbrega.

A iniciativa que tem auxiliado a gestão do governo paraibano já foi reproduzida por sete unidades da federação (RN, AP, AM, PI, DF, RR e SE) e é disponibilizada gratuitamente. Para ter acesso ao aplicativo, basta solicitá-lo ao governo da Paraíba que já encaminha a ferramenta nos moldes do estado que irá utilizá-la.

Saiba como baixar e instalar o aplicativo Aedes na Mira - Para baixar o aplicativo na plataforma android, basta ir na Play Store, já no iOS vai na App Store, que têm nas áreas de trabalho, digita “Aedes na Mira” e instala. Aparecem as opções: “denúncia”, “cuidados”, “gestantes” e “serviços de referência”.

Na opção “denúncia”, aparece “capturar imagem”. Junto com a foto, devem ser enviadas informações sobre o local do possível foco do mosquito, em qualquer lugar da Paraíba.

As informações são enviadas, imediatamente, para a Sala de Situação onde acontecerá a triagem e será feito o encaminhamento para a solução mais adequada. O cidadão que enviar a denúncia por meio do aplicativo receberá um retorno sobre o andamento de sua demanda. (Fonte: SES/PB).

Ouça áudio / download (mp3) em que o ministro Henrique Eduardo Alves destaca a mobilização dos governos federal, estaduais e municipais contra o mosquito.


Leia mais:

Turistas vigilantes contra o Aedes

Governo Federal mobiliza 3,7 mil militares para ações de combate ao Aedes aegypti no Paraná

Turismo se mobiliza para combater o Aedes aegypti

“Não há restrição de viagens ao Brasil”, afirma o ministro do Turismo

Turismo participa de reunião para mobilização contra o Aedes aegypti

Ministério promove “faxinaço” para combater o Aedes aegypti

Turismo alerta setor para o combate ao Aedes aegypti

 


< ACESSE TODAS AS NOTÍCIAS


registrado em:
Fim do conteúdo da página