Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Últimas notícias > Rock in Rio: festival aquece o turismo carioca
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Rock in Rio: festival aquece o turismo carioca

Evento que vai completar 30 anos de história deve atrair 85 mil pessoas por dia. O país já é o segundo maior mercado de shows da América Latina, atrás apenas do México, de acordo com pesquisa

  • Publicado: Sexta, 18 de Setembro de 2015, 12h25
  • Última atualização em Terça, 22 de Setembro de 2015, 10h51
Imagem: Rock in Rio/Divulgação
Imagem: Rock in Rio/Divulgação

 

Por Carolina Valadares

Um dos maiores festivais de música do país, o Rock in Rio, começa hoje (18) e vai até o próximo dia 27, no Rio de Janeiro. Este ano, entre as atrações estão Queen, Metallica, Rod Stewart, A-ha e Ultraje a Rigor. A última edição, em 2013, atraiu um público de 595 mil pessoas e gerou um impacto de mais de R$ 1 bilhão na economia do Rio de Janeiro. A média de ocupação dos quartos nos hotéis foi de 90% durante o festival.

Os ingressos já estão esgotados e quem não se planejou vai ficar de fora. Em 2015, quando o Rock in Rio completa 30 anos de história aguarda-se um público de 85 mil pessoas por dia.

“O Rio de Janeiro tem tradição em promover grandes eventos. No ano passado foi cidade-sede da Copa do Mundo, em 2013 recebeu a Jornada Mundial da Juventude, em 2012 a Rio+20 e em 2016 teremos a Olimpíada. O turismo é um dos mais impactados com a realização de grandes eventos”, diz o ministro do Turismo, Henrique Alves. O brasileiro que viaja para assistir shows aproveita também o deslocamento para visitar museus, praias e pontos turísticos, movimentando a economia do turismo local.

O Brasil recebe a cada ano mais festivais de música. O país já é o segundo maior mercado do ramo da América Latina, atrás apenas do México, conforme pesquisa inédita da consultoria Pricewaterhousecoopers (PwC). De acordo com o estudo Entertainment and Media Outlook 2015-2019, a receita deste segmento aumentou de US$ 165 milhões em 2010, para US$ 205 milhões em 2014, um incremento de 24,2%.

No segundo semestre, a capital São Paulo vai receber o Popload Festival em outubro e, em novembro, o festival Sonar, de música eletrônica. Belo Horizonte e outras capitais vão receber o grupo Pearl Jam ainda este ano. Confira outros shows e programe sua viagem com ajuda do site Festivalando

O Brasil sediou 600 mil eventos em 2014 conforme dados da ABEOC (Associação Brasileira de Empresa de Eventos) e historicamente o país figura entre os dez países que mais recebem eventos internacionais no mundo. Um levantamento realizado pelo Ministério do Turismo mostrou que somente a capital Belo Horizonte recebeu 35 shows internacionais desde 2012. Brasília, desde 2011, recebeu 15 atrações internacionais. Aos poucos, outras capitais vão se transformando também em polos de atrações de grandes bandas, além do Rio de Janeiro e São Paulo.

Para o diretor da Belotur, Mauro Werkerma, os shows internacionais ampliam a ocupação hoteleira, movimentam bares e restaurantes e,  outros atrativos. "Os turistas que vão a shows aproveitam para conhecer novos lugares e explorar a cidade".

Já o diretor do departamento de pesquisa e estudos do MTur, José Francisco Lopes, diz que: “Os shows internacionais geram um impacto econômico favorável devido aos gastos feitos pelos turistas. Além de serem uma forma de ocupação das arenas que não sobrevivem só do futebol”, explica 

LOLLAPALOOZA - Pesquisa realizada pelo Observatório de Turismo e Eventos da Cidade de São Paulo (SPTuris) mostrou que mais da metade do público que foi ao festival Lollapalooza Brasil 2015 era de turistas. Esses visitantes foram responsáveis por mais de R$ 93 milhões de movimentação econômica, com gastos em hospedagem, alimentação e outros.

Os turistas ficaram em média 2,3 dias na capital e gastaram cerca de R$ 1.659 no período. O público também aprovou o local do evento: 85,3% disseram que o Autódromo de Interlagos é um ótimo local para o festival. O local passou por reformas com investimentos do Ministério do Turismo. Do total de R$ 160 milhões previstos para a obra, R$ 28 milhões foram liberados.

 

< ACESSE TODAS AS NOTÍCIAS

registrado em:
Fim do conteúdo da página