Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Últimas notícias > "Brasília Cinematográfica" é lançado na capital federal
Início do conteúdo da página

"Brasília Cinematográfica" é lançado na capital federal

Livro retrata a preparação da cidade na sua transformação em destino referência para produções de cinema
  • Publicado: Quarta, 18 de Novembro de 2009, 22h55
  • Última atualização em Quinta, 19 de Novembro de 2009, 10h47

Conhecida como Capital Cinéfila, Brasília está em preparação para se tornar cenário de referência em produções audiovisuais nacionais e internacionais. O trabalho de fortalecimento do segmento na cidade é realizado, desde 2008, pelo Ministério do Turismo (MTur) em parceria com o Instituto Dharma, o Instituto Casa Brasil de Cultura, a Empresa Brasiliense de Turismo (Brasiliatur), a Secretaria de Cultura do Distrito Federal e o governo do Distrito Federal. Esse esforço conjunto está retratado no livro “Brasília Cinematográfica”, lançado pelo diretor do Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico do MTur, Ricardo Moesch, na última quarta-feira (18), em Brasília (DF), durante o 42º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

“Com esse projeto, Brasília passa a constar no mapa de disputa por produções nacionais e internacionais. A cidade tem uma diversidade e potencial turístico que precisam ser explorados. É preciso despertar o interesse dos brasileiros em conhecer a capital do seu país e o cinema é uma forma de dar a visibilidade que a cidade merece”, ressaltou Moesch. Para a presidente do Instituto Dharma, Ana Cristina Costa e Silva, “o projeto propiciou ao setor uma voz única, todos olhando em uma mesma direção integrando turismo e cinema”.

O livro apresenta um diagnóstico qualitativo dos setores de turismo e audiovisual em Brasília e propostas para o fortalecimento do segmento na capital, por meio da Brasília Film Comission (BsbFC). Além disso, a publicação apresenta as ações de mobilização realizadas junto ao poder público, à iniciativa privada e ao terceiro setor, bem como duas propostas de roteiros que integram o turismo a produções realizadas na cidade.

No Tour JK, por exemplo, a sugestão é mesclar informações sobre aspectos históricos da construção da capital federal, tendo como gancho os cenários da Minissérie JK, baseada na vida do ex-presidente Juscelino Kubitschek, exibida pela Rede Globo em 2006.

Outra proposta de roteiro a ser trabalhado pelos profissionais do setor turístico da cidade é o Circuito Brazza, roteiro baseado na trajetória de Afonso Brazza, “o cineasta bombeiro”, diretor que mais produziu filmes na história do cinema brasiliense. Nesse roteiro, assim como no Tour JK, a ideia é utilizar ônibus envelopados com os temas das produções e exibir cenas na medida em que as locações são visitadas.

Esses roteiros não são produtos finais, mas indicações de como a visibilidade dos cenários no cinema e na TV podem agregar valor às locações e destinos turísticos. Além disso, vale ressaltar, que caso esses roteiros sejam implementados na prática, é necessário autorização dos respectivos detentores dos direitos autorais para reprodução das obras.

O diretor de Turismo da Brasiliatur, Luciano Tourinho, citou o caso da Nova Zelândia como exemplo de destino que teve incremento no turismo ao ser cenário de grandes locações. “A Nova Zelândia, com a gravação do filme Senhor dos Anéis, em três anos viu o número de turistas subir de 500 mil para quatro milhões. Isso mostra que esse é um produto rentável e, ainda, mais por se tratar de Brasília uma cidade contemporânea, tombada, o que agrega valor e estimula o desenvolvimento de roteiros específicos ligados às produções audiovisuais”, concluiu.

Ao longo dessa primeira etapa de preparação da cidade, foi instituído o Núcleo de Permissão de Filmagens, ligado à Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, para agilizar questões burocráticas relacionadas à permissão de filmagens. A gerência centraliza a emissão de permissões de filmagens e outras demandas como alvará de funcionamento, transporte urbano, tráfego terrestre, segurança, entre outros.

A segunda etapa do projeto Brasília Cinematográfica contará com apoio da Secretaria de Cultura do Distrito Federal, por meio do Fundo de Apóia à Cultura (FAC). Segundo o secretário adjunto de Cultura do Distrito Federal, Beto Sales, recursos na ordem de R$ 250 mil serão investidos na estruturação do Brasília Film Comission.

O projeto prevê, ainda, a criação de um site que funcionará como um banco de dados, no qual produtores de qualquer parte do mundo poderão acessar informações sobre locações e serviços disponíveis para os interessados em filmar em Brasília.

Destinos Referência em Segmentos Turísticos – A ação faz parte do projeto 10 Destinos Referência em Segmentos Turísticos do MTur. Além Da capital federal, o MTur trabalha a estruturação dos destinos referência Sol e Praia (Jericoacoara/CE), Aventura Especial (Socorro/SP), Rural (Anitapolis, Santa Rosa de Lima, Rancho Queimado, Urubici/SC), Aventura (Lençóis - Chapada Diamantina/BA), Ecoturismo (Santarém/PA), Negócios e Eventos (Ribeirão Preto/SP), Cultural (Paraty/RJ), Pesca (Barcelos/AM) e Estudos e Intercâmbio (São João del-Rei/MG).

Durante o lançamento, Moesch explicou o porquê da escolha da capital federal como destino referência em Turismo Cinematográfico: “Brasília é uma cidade nova, com uma proposta arquitetônica distinta. A luz natural da capital é cenário ideal para filmagens. Além disso, Brasília concentra uma multiplicidade de etnias, bem como núcleos de produções e adoradores de cinema. E mais: é sede do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, conceituado em todo o país”. Nesta edição, 52 produções de Brasília estarão nas telas do festival.
 

registrado em:
Fim do conteúdo da página