Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Últimas notícias > Low cost apresenta plano para atuar no mercado doméstico do Brasil
Início do conteúdo da página
RETOMADA

Low cost apresenta plano para atuar no mercado doméstico do Brasil

JetSMART, que já opera linhas internacionais para o país, mira voos internos

  • Publicado: Quinta, 25 de Junho de 2020, 16h48
  • Última atualização em Terça, 30 de Junho de 2020, 14h44

250620_-_jet_smart.jpg

A JetSMART apresentou à Anac um plano de operação no mercado interno brasileiro. Crédito: Divulgação

O Brasil pode ter, em breve, a primeira empresa aérea low cost operando voos domésticos. A JetSMART, que já oferece voos entre Chile, Argentina e Brasil, apresentou à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) um plano de operação no mercado interno de aviação comercial. O importante anúncio vai ao encontro das expectativas para a futura retomada do setor após a pandemia de Covid-19 e a priorização, pelos turistas, das viagens nacionais.

A JetSMART, companhia sul-americana fundada pela empresa de capital privado Indigo Partners, mantém operações no Chile, Argentina e Peru. A empresa confirmou à Reuters a intenção de operar voos domésticos no Brasil. Outras três aéreas do gênero já atuam no Brasil em linhas internacionais: a argentina Flybondi, a norueguesa Norwegian Air e a chilena Sky Airline.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, destaca que a possível operação de low costs no Brasil reforça o trabalho voltado ao aumento da conectividade aérea e à retomada do setor após a pandemia. “O estímulo à competitividade é uma das medidas para estimular a queda no preço das passagens. Entendemos que a retomada do setor será por meio de viagens nacionais e a chegada da JetSMART amplia a malha aérea e traz mais ofertas de baixo custo”, disse o ministro.

O CEO da JetSMART, Estuardo Ortiz, se comunicou por nota. “Embora a pandemia tenha reduzido substancialmente a demanda, ainda estamos analisando novas operações na região, apesar de seguirmos o formato e a velocidade da recuperação do mercado no Brasil e em outros países”.

registrado em:
Assunto(s): RETOMADA
Fim do conteúdo da página