Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Últimas notícias > Gastos de turistas estrangeiros no país crescem 4,86% em setembro
Início do conteúdo da página
MOVIMENTAÇÃO ECONÔMICA

Gastos de turistas estrangeiros no país crescem 4,86% em setembro

Alta nas despesas de visitantes no Brasil provoca queda no déficit da balança comercial do turismo

  • Publicado: Quarta, 30 de Outubro de 2019, 10h40
  • Última atualização em Quarta, 30 de Outubro de 2019, 10h40

Por Victor Maciel

30.10.2019_Comércio_Gastos_Turistas.jpg

Calçadão do povo, em Parintins (AM) Crédito: Mário Oliveira/MTUR

Em setembro deste ano, os turistas estrangeiros deixaram mais dinheiro no Brasil do que no mesmo mês do ano passado. De acordo com dados do Banco Central, o montante foi 4,86% superior ao registrado em igual período de 2018, totalizando US$ 391 milhões - uma movimentação extra de US$ 18 milhões na economia dos destinos visitados.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, avalia que os números comprovam o acerto de ações adotadas para desenvolver o setor. “Estamos trabalhando fortemente para que esse e outros bons resultados que estão surgindo em nossa gestão possam continuar nesse ritmo de crescimento. Podemos muito mais, e com algumas medidas que estamos fechando junto ao governo iremos alavancar o turismo, gerar emprego e renda e chegar à meta de duplicar o número de turistas estrangeiros em 2022”, aposta o ministro.

Outro índice que apresentou alta foi o que mede as despesas de brasileiros no exterior. Após uma queda de 5,24% em agosto, o montante voltou a crescer no último mês. Os gastos somaram US$ 1,33 bilhão, percentual 11,83% maior que o de setembro de 2018 (US$ 1,19 bilhão).

No acumulado do ano, de janeiro a setembro, as despesas de visitantes estrangeiros no país atingiram US$ 4,529 bilhões, resultado 0,36% superior ao do mesmo período do ano passado (US$ 4,513 bilhões). O índice gerou uma queda no déficit da balança comercial do turismo, que caiu de US$ 9,36 bilhões, em 2018, para US$ 8,81 bilhões, neste ano.

Edição: André Martins

Fim do conteúdo da página