Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Últimas notícias > Ministro reforça abertura do mercado aéreo para crescimento do turismo no Brasil
Início do conteúdo da página
CONECTIVIDADE

Ministro reforça abertura do mercado aéreo para crescimento do turismo no Brasil

Em encontro com a espanhola Globalia, Marcelo Álvaro Antônio celebrou os novos voos na região das Três Fronteiras entre Brasil, Argentina e Paraguai

  • Publicado: Sexta, 23 de Agosto de 2019, 17h39
  • Última atualização em Segunda, 26 de Agosto de 2019, 15h18

 Por Cecília Melo 

23_08_19_Globalia Foz.jpg

Cerimônia com diretores da Globalia, ministro do Turismo e secretário executivo Daniel Nepomuceno. Crédito: Beto Barata 

Em cerimônia com o Grupo Globalia na noite desta quinta-feira (22), em Foz do Iguaçu, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, celebrou as recentes expansões do conglomerado na região conhecida como tríplice fronteira, entre o Brasil, a Argentina e o Paraguai. No mesmo dia, a companhia aérea espanhola Air Europa, que faz parte da Globalia, anunciou uma nova rota que vai ligar Madri a Fortaleza, no Ceará, a partir de 20 de dezembro. A empresa já opera voos regulares para Salvador (BA), São Paulo (SP) e Recife (PE).

O ministro do Turismo destacou que a atração de novos voos, como estes, contribui para fortalecer a conectividade regional com os países vizinhos em uma gestão integrada, além de ser um marco para o desenvolvimento do turismo. "Esses novos voos potencializarão o número de turistas espanhóis e europeus na região, pois aqui são três países e um só destino. Esse grupo detém cerca de 15% de toda a conectividade entre o Brasil e a Europa e quer ampliar suas operações, o que é muito promissor", destacou.

Ainda em sua fala, Álvaro Antônio pontuou que o governo vem trabalhando para aumentar a presença das novas companhias aéreas no Brasil com o intuito de trazer um ambiente mais competitivo e preços mais acessíveis, além do aumento de turistas no país. “Estamos indo na direção certa para chegar ao patamar que o Brasil tem potencial para alcançar. A luta por um mercado mais acessível e competitivo é trabalho constante da atual gestão. Buscamos novos investimentos para valorizar quem quer empreender no país, agora que o turismo ocupa papel central nas políticas do governo para o desenvolvimento”, destacou.

Para o diretor de Desenvolvimento Internacional da Globalia, Lisandro Menú-Marque, o grupo tem o objetivo de expandir seus negócios no Brasil e aumentar a conectividade com a Europa. "Essa nova conectividade [Puerto Iguazú-Madri] trará afeto, trabalho, riquezas e muita alegria para os povos dos dois continentes. Somos apaixonados pela região, pelo Brasil, onde operamos já há 14 anos", frisou Lisandro.

O evento reuniu empresários, investidores, gestores e autoridades públicas municipais, estaduais e nacionais. O secretário executivo do Ministério do Turismo, Daniel Nepomuceno, também esteve presente na cerimônia.

A Air Europa, uma das empresas da Globalia, hoje dispõe de 18 voos semanais ligando a Europa ao Brasil. De acordo com o CEO da empresa, Javier Hidalgo, a oferta vai, pelo menos, dobrar até 2020. Atualmente, a empresa transporta 310 mil turistas da Europa para o Brasil por ano. Se dobrar o número de viajantes, deve injetar R$ 1,6 bi a mais por ano na economia brasileira.

CONQUISTAS – No início de maio, em agenda internacional na Espanha, Madri, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, convenceu os executivos do grupo Globalia a ampliar os investimentos no Brasil. Na ocasião, o ministro destacou que o país vive um novo momento mais favorável ao investidor e empresas internacionais de transporte aéreo podem operar trechos domésticos desde que abram filiais no Brasil.

Duas semanas depois do encontro, a Air Europa solicitou, na Junta Comercial de São Paulo, registro de empresa brasileira com sede administrativa em território nacional, o que permite o transporte de passageiros em rotas nacionais segundo as leis do País. Cinco dias depois, o grupo que administra a Air Europa, foi autorizada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) a operar voos domésticos, a primeira no Brasil. No mesmo dia, o Senado Federal aprovou a Medida Provisória 863/2018 que abriu o mercado brasileiro para a participação de 100% de capital estrangeiro em empresas aéreas brasileiras.

No final de maio, a empresa espanhola, em reunião com o presidente Jair Bolsonaro e o ministro Marcelo Álvaro Antônio, anunciou planos de operações para o Brasil. Em 17 de junho, Bolsonaro sancionou e converteu em lei (Lei 13.842/2019) a MP que abriu o mercado brasileiro para a participação de 100% de capital estrangeiro em empresas aéreas brasileiras.

Após essas mudanças, o ambiente de negócios se tornou favorável ao desenvolvimento e investimento de empresas que já obtiveram autorização para operar voos regulares ligando outros países ao Brasil – é o caso da chilena Sky Airline, da norueguesa Norwegian Air e da argentina Flybondi. Essa última, autorizada no dia 2 de julho, já iniciou a venda das passagens aéreas de Buenos Aires para o Rio de Janeiro e Florianópolis com preços bastante acessíveis.

Edição: Victor Alves 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página