Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Últimas notícias > Turismo e Iphan lançam campanha de valorização do patrimônio dos bens do Sul
Início do conteúdo da página
VALORIZAÇÃO DO PATRIMÔNIO

Turismo e Iphan lançam campanha de valorização do patrimônio dos bens do Sul

Tema também é uma das metas dos 100 primeiros dias de gestão MTur: instituir a Política Nacional de Gestão Turística dos Patrimônios Mundiais

  • Publicado: Quinta, 07 de Fevereiro de 2019, 14h00
  • Última atualização em Terça, 12 de Fevereiro de 2019, 10h32

Por Geraldo Gurgel * com informações da Assessoria de Comunicação do IPHAN

07 02 19 Iphan GlóriaTega Iphan
Autoridades durante evento. Crédito: Glória Tega/Iphan

O secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo do Ministério do Turismo, Aluizer Malab, participou nesta quinta-feira (7), em Porto Alegre (RS), do lançamento da campanha “Patrimônio Cultural do Sul: Turismo Cultural como ativo para o desenvolvimento das cidades históricas”. A cerimônia aconteceu no gabinete do governador, Eduardo Leite, no Palácio Piratini, e contou com a presença do ministro da Cidadania, Osmar Terra, da presidente do Iphan, Kátia Bogéa, além de dirigentes nacionais e superintendentes do Instituto na região Sul.

A campanha destaca uma vasta lista de edificações, conjuntos urbanos, manifestações, bens arqueológicos e ferroviários reconhecidos como referências culturais. Apesar de ser a menor região brasileira em extensão territorial, o Sul oferece um inventário plural de bens culturais e atrativos turísticos que serão divulgados, valorizados, promovidos e debatidos coletivamente entre o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Ministério do Turismo e demais parceiros ao longo de 2019.

A instituição da Política Nacional de Gestão Turística dos Patrimônios Mundiais foi escolhida como uma das 35 metas do Governo Federal para os primeiros 100 dias da gestão Bolsonaro. A edição de um decreto com essas diretrizes deve contribuir para o incremento sustentável da visitação nas cidades históricas, viabilizando a preservação e valorização da cultura local. A ideia é que a proposta também permita o ordenamento do turismo nos Patrimônios Naturais Mundiais do Brasil, como uma estratégia fundamental para a conscientização da sociedade sobre a importância da proteção do meio ambiente.

Malab destacou a importância do turismo para promover e preservar o patrimônio cultural e natural, além de desenvolver os destinos com a geração de empregos e impostos para as comunidades, inclusive no entorno dos parques naturais e sítios históricos. “Os bens naturais e manifestações culturais protegidos, em todo Brasil, possuem grande potencial turístico que, trabalhados e qualificados, como nessa parceria entre o MTur e o IPHAN, podem ampliar a atração de turistas e o desejo de explorar esses atrativos, além da responsabilidade de se preservar, ainda mais, o nosso patrimônio”, disse o secretário do MTur.

O Patrimônio Cultural do Sul reflete a diversidade dos mais de 28 milhões de habitantes dos três estados: Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Milhares de turistas visitam, anualmente, o Parque Nacional do Iguaçu (PR) na fronteira entre o Brasil, Argentina e Paraguai; o Sítio Arqueológico São Miguel Arcanjo (RS); além de 13 cidades históricas protegidas na região.

“É com esse olhar que o Iphan mais uma vez tem o futuro como meta e, em 2019, busca atuar também com uma forte parceria com o Ministério do Turismo, visando implementar ações que incentivam o turismo cultural”, disse a presente do Instituto, Kátia Bógea.

SÃO MIGUEL DAS MISSÕES – Nesta sexta-feira (8), o secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo participa da cerimônia de assinatura da ordem de serviço da obra de requalificação urbana do entorno do Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo. O projeto tem como objetivo promover a melhoria da infraestrutura urbana do entorno do sítio tombado desde 1983 como Patrimônio Mundial da Unesco.

Estão previstas a construção de ciclovias, calçadas, trilhas e paisagismo, entre outras intervenções. A obra está orçada em R$ 3,05 milhões. Ainda em São Miguel das Missões, será feita a entrega do certificado da Tava – lugar de referência para a memória e a identidade do povo Guarani – como Patrimônio Cultural do Mercosul.

 

registrado em:
Assunto(s): Iphan , Patrimônio , bens do sul , Sul
Fim do conteúdo da página