Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Últimas notícias > Fotografia de viagem muito além da “selfie”
Início do conteúdo da página
DATA COMEMORATIVA

Fotografia de viagem muito além da “selfie”

No Dia Nacional da Fotografia, conheça o mercado especializado em “eternizar” as recordações e experiências do turista que viaja pelo Brasil

  • Publicado: Terça, 08 de Janeiro de 2019, 14h00
  • Última atualização em Quarta, 09 de Janeiro de 2019, 17h39

Por André Martins

07 01 19 FERNANDO DE NORONHA 01 CHICO BALA
Fotógrafo Chico Bala registra experiências de viagem na paradisíaca ilha de Fernando de Noronha (PE). Crédito: Chico Bala

O bastão de selfie ficou pra trás: a fotografia criativa agora é parte da experiência de viagem. O interesse em registrar momentos com originalidade ganhou tanta importância entre os brasileiros que deu origem a um novo mercado, especializado em oferecer serviços de fotografia durante a visita a atrativos turísticos e roteiros em destinos nacionais.

Na paradisíaca Fernando de Noronha (PE), por exemplo, é possível contratar fotógrafos autônomos para acompanhar e registrar o passeio do turista. O fotógrafo Francisco de Salles, popularmente conhecido como ‘Chico Bala’, é um desses profissionais na ilha. O técnico de equipamentos de mergulho e guia de turismo explica que o trabalho envolve locais pouco comuns: alguns de difícil acesso, mas todos de rara beleza. “Os pontos que os turistas mais pedem para serem fotografados são o mirante do Sancho, a Cacimba do Padre e a Baía dos Porcos, mas muitos visitam outros locais e se surpreendem, falam que não imaginavam tantos lugares bonitos aqui”, comenta. Ele fotografa turistas de todos os perfis – famílias, casais, grupos e viajantes solitários que não querem perder a oportunidade de levar memórias de qualidade para casa.

Há espaço também para serviços que organizam expedições turísticas com profissionais de imagem e entusiastas da fotografia. A Onelapse, de São Paulo, por exemplo, cria roteiros a interessados em aprimorar técnicas de fotografar. Segundo Thiago Coelho, um dos fundadores, o serviço incentiva o turista a desenvolver o próprio olhar sobre o destino. “A pessoa vivencia o lugar, e o fotógrafo orienta a melhor maneira de aproveitar o cenário para atingir os objetivos de cada um”, explica. No Brasil, a empresa promove viagens para os Lençóis Maranhenses e o Pantanal.

Viagens como essas criam atividades que são um misto de turismo e oficina de fotografia. O aposentado Lauro Andrade, de Curitiba, afirma que a possibilidade de experimentar lugares incomuns é o que mais o seduz. “É uma forma inusitada de conhecer destinos, um incentivo inclusive para que as pessoas conheçam lugares fora dos circuitos tradicionais. O turista hoje quer vivenciar experiências locais, coisas que, muitas vezes, o turista tradicional não vai enxergar”, aponta o viajante que já participou de expedições da Onelpase.

Apostando em tendências como o protagonismo cada vez maior do internauta nas redes sociais, há também empresas e trabalhadores independentes que oferecem auxílio na hora de captar paisagens, passeios e experiências. Uma delas é a Flytographer, startup canadense que conecta visitantes a fotógrafos locais em destinos mundiais, incluindo o Rio de Janeiro. Os roteiros envolvem pontos como a Escadaria Selarón, o Jardim Botânico e os Arcos da Lapa.

A fotógrafa Claudia Ruiz, que atende pela plataforma na Cidade Maravilhosa, conta que a procura é grande principalmente por estrangeiros e cita diferenciais do serviço. “A gente conhece os pontos turísticos e, o mais importante: sabe os lugares bonitos e seguros. A valorização da fotografia profissional é importante inclusive para o turismo, porque as pessoas vão ter fotos de qualidade, e não aquela selfie comum”, ressalta.

A contratação de fotógrafos para sessões personalizadas também é oferecida por serviços como o Phototrip.me, que reúne profissionais de várias partes do país. A startup brasileira promove uma imersão nos destinos visitados e na cultura regional, oferecendo lembranças além de meros ensaios.

07 01 19 LENÇÓIS MARANHENSES 01 CRISTIANO XAVIER ONELAPSE EXPEDIÇÕES FOTOGRÁFICAS
Expedições fotográficas levam grupos para registrar paisagens em destinos como os Lençóis Maranhenses. Foto: Cristiano Xavier

MARQUE O #MTUR NO SEU POST - Perfis do Ministério do Turismo no Facebook e no Instagram selecionam e publicam diariamente fotos enviadas por seus seguidores em destinos nacionais. Para participar do álbum do ministério, é só marcar a publicação com a hashtag #MTur.

A Pasta também criou o Banco de Imagens MTur Destinos, álbum com imagens dos principais destinos de lazer, gastronomia e cultura de 169 cidades brasileiras. O conteúdo, hospedado no Flickr e 100% gratuito para download e utilização (mediante citação do crédito), permite que viajantes interessados em conhecer mais o Brasil façam pesquisas na plataforma e conheçam previamente os principais atrativos de cada região. O material também pode ser utilizado por gestores públicos, imprensa e ações publicitárias de promoção de destinos.

A DATA - O Dia Nacional da Fotografia e do Fotógrafo é uma alusão à data na qual a primeira câmera fotográfica teria chegado ao Brasil, no ano de 1840. O aparelho, chamado de Daguerreótipo, foi inventado por Louis Jacques Mandé Daguérre e apresentado ao mundo em 19 de agosto de 1839, na Academia de Ciências da França, na cidade de Paris. Conforme a história, o abade Louis Compte trouxe a invenção ao Brasil e a apresentou ao Imperador D. Pedro II.

Pauta e Edição: Vanessa Sampaio

Fim do conteúdo da página