Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Últimas notícias > Turismo estreita laços entre Brasil e Emirados Árabes
Início do conteúdo da página
Institucional

Turismo estreita laços entre Brasil e Emirados Árabes

Autoridades dos dois países discutem formas de reforçar o intercâmbio de viajantes e a atração de investimentos

  • Publicado: Quarta, 13 de Junho de 2018, 18h27
  • Última atualização em Quarta, 13 de Junho de 2018, 18h27

Por André Martins


Crédito: Roberto Castro/MTur

A aproximação bilateral com vistas à promoção de destinos nacionais e de investimentos estrangeiros foi o assunto de reunião nesta quarta-feira (13), em Brasília, entre o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, e a embaixadora dos Emirados Árabes Unidos (EAU) no Brasil, Hafsa Al Ulama. Os dois acertaram que representantes do MTur e do governo daquele país vão discutir a organização de uma missão oficial aos EAU, a fim de permitir a divulgação de atrativos brasileiros e a apresentação de projetos que possam despertar a atenção de empresários.

Um dos objetivos é favorecer o fluxo de turistas entre os dois países, que tende a crescer a partir da operação, no mês de julho, de cinco voos semanais da Emirates Airlines na rota Dubai-São Paulo-Santiago, no Chile. O ministro citou esforços pela melhoria da conectividade aérea, que tem grandes perspectivas de avanço com a possível abertura de empresas aéreas brasileiras ao capital estrangeiro. “Com a medida, mais empresas poderão atuar no país, permitindo a chegada de novos investimentos e a ampliação de voos e rotas aéreas. Isso é essencial para a expansão do mercado de viagens”, observou.

A ampliação da participação internacional em companhias aéreas consta de um projeto de lei que aguarda votação na Câmara dos Deputados. Hafsa Al Ulama elogiou destinos brasileiros e destacou o grande interesse de cidadãos dos EAU em conhecer atrativos além dos já tradicionais ‘futebol e samba’. Ela enalteceu o potencial dos Emirados Árabes de amplificar a promoção do país, por ser um hub internacional de viajantes. “Nós recebemos turistas de várias nacionalidades, já que muitos deles passam por Dubai, por exemplo. Ou seja, há um grande espaço para o marketing do Brasil”, argumentou.

A diplomata apontou o sucesso do acordo que isenta brasileiros e cidadãos dos EAU da necessidade de vistos, no sentido de facilitar viagens. Ela também relatou investimentos árabes em marinas no exterior, aportes estes que o ministro defendeu empenho do Brasil em captar. “Os árabes investem, por exemplo, US$ 1 bilhão nessa área em Montenegro, na Europa, enquanto aqui há enormes dificuldades regulatórias. Isso reforça a necessidade de ampliarmos o trabalho voltado à segurança jurídica para atração de investimentos para o Brasil, que dispõe de inúmeros locais propícios a esse tipo de empreendimento”, conclamou o ministro.

A embaixadora sugeriu ainda a participação brasileira no Global Vilage, um complexo em Dubai, com funcionamento sazonal, que apresenta atrativos de diversos países. O local é dividido em pavilhões, nos quais mais de 30 nações oferecem opções de compra, alimentação e entretenimento. Também participaram do encontro desta quarta o secretário nacional de Estruturação do Turismo, José Antônio Parente; o chefe da Assessoria Especial de Relações Internacionais do MTur, Rafael Luisi, e a presidente da Embratur, Teté Bezerra, entre outros representantes da autarquia e dos EAU.

FACILITAÇÃO - O acordo bilateral que determina a isenção mútua de vistos entre Brasil e Emirados Árabes Unidos vigora desde 03 de junho deste ano. O texto permite que portadores de passaporte comum em visitas de turismo, negócios ou trânsito ingressem, saiam e circulem livremente pelos dois países por até 90 dias, a cada 12 meses. A entrada de viajantes exige apenas a apresentação, na chegada ao destino, de passaportes nacionais com pelo menos seis meses de validade, sem que seja preciso efetuar o pagamento de qualquer taxa.

A medida não vale para fins de estudo ou trabalho. Nestes casos, são necessárias autorizações específicas, emitidas conforme as exigências de cada nação.

registrado em:
Fim do conteúdo da página